quarta-feira, 3 de julho de 2013

É Certo se Divorciar?

acfav | É Certo se Divorciar?“Por isso, o homem deixará pai e mãe e se unirá a sua mulher, e os dois constituirão uma só carne (Gênesis 2,24). Este mistério é grande, quero dizer, com referência a Cristo e à Igreja”.
(Efésios 5,31-32)



Segundo São Paulo, o Sacramento do Matrimônio representa a união de Cristo com a Igreja (Efésios 5,31).

Desde a criação do homem, Deus abençoou a união matrimonial (Gênesis 1,28 e 2,18), é um verdadeiro pacto sagrado (Provérbios 2,16-18 e Malaquias 2,14). No entanto, esse pacto Sagrado foi corrompido ao longo dos anos pela prática da poligamia (Gênesis 4,19; 26,34; 28,9 e 30,3) e também pela permissão do divórcio (Deuteronômio 24,1-4).

Como bem sabemos, Jesus Cristo veio elevar a Lei de Deus a perfeição. Com relação ao matrimônio, Ele elevou esta união à Sacramento. Jesus condenou totalmente o divórcio (Mateus 5, 31-32), e disse que o matrimônio só pode ser dissolvido pela morte de um dos cônjuges (Romanos 7,2-3).

É certo que Jesus admitiu o repúdio da esposa no caso de infidelidade, mas nunca autorizou um novo casamento. A Igreja autoriza o divórcio em alguns casos especiais, por exemplo: Se o marido bebe muito e bate na esposa e nos filhos, não seria prudente obrigar essa mulher a viver com o marido. Em casos como esse até pode haver o divórcio, mas nunca um novo casamento. Poderiamos dizer que o pecado maior não é se divorciar, mas se divorciar para casar novamente. É Jesus quem nos vai dizer isso, que se um homem se casar com uma mulher repudiada comete adultério (Mateus 5,32), como comete adultério todo homem ou mulher que se casa de novo antes da morte do seu cônjuge (Mateus 19,9).

Existem casos em que é permitida a anulação do casamento, mas isso é assunto para outro artigo.


0 comentários:

Postar um comentário