quarta-feira, 31 de julho de 2013

O Papa Não Disse, Mas a Mídia Sim

Certa vez a imprensa divulgou que o Papa Bento XVI havia dito que os divorciados eram “uma praga” dentro da Igreja. A notícia estava na TV, nos jornais, revistas e portais de notícia, revoltando todos aqueles que são divorciados, “Como ele pode dizer que sou uma praga” dizia uma senhora entrevistada pelo repórter.
 
A polêmica acabou quando um jornalista se manifestou esclarecendo o caso: “Vocês não sabem traduzir o italiano? O Papa não disse praga, ele disse chaga”. Na verdade o Papa Bento XVI havia dito que o divórcio (e não os divorciados) era uma chaga no seio da Igreja, ou seja, uma ferida (chaga é uma ferida). O Papa mostrava sua preocupação com a situação do divorcio que fere a família. Todos que passaram pela dolorosa experiência do divórcio sabem que ele machuca o casal e também os filhos.

Poucos foram os jornalistas que vieram em publico esclarecer o mal entendido.
Tempos depois, a mídia divulgou uma notícia bombástica: Papa Bento XVI aprova uso da camisinha. E mais uma vez, as palavras do Papa foram interpretadas de forma errada. O Papa jamais autorizou o uso de preservativos.

E agora temos o caso mais recente com o Papa Francisco, a imprensa disse que o Papa aprovou a união homossexual. Até o ex-padre da Diocese de Bauru que foi excomungado  queria entrar na justiça para reverterem seu processo de excomunhão, pois, acredita ele, ter sido excomungado por defender a união homossexual.

Primeiramente, a nota divulgada pela Diocese de Bauru dizia que o tal padre estava sendo excomungado não por causa de sua posição referente aos homossexuais (como a imprensa erroneamente estava divulgando), mas porque o tal padre escandalizava o povo de Deus com sua forma desregrada de viver.
Em segundo lugar, o Papa Francisco em nem um momento aprovou a união homossexual. Ele apenas falou aquilo que o Catecismo da Igreja Católica (CIC) nos ensina sobre o assunto:

Está no parágrafo 2358:
"Um número não negligenciável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais profundamente enraizadas. Esta inclinação objetivamente desordenada constitui, para a maioria, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á para com eles todo sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar a vontade de Deus em sua vida e, se forem cristãs, a unir ao sacrifício do Senhor as dificuldades que podem encontrar por causa de sua condição."
Em outras Palavras: a Igreja continua condenando o pecado, não o pecador. E, justamente porque o ama, chama-o à conversão, à castidade. Por causa de sua condição, eles não devem ser injustamente discriminados, mas tratados com respeito e dignidade. Este é o ensinamento da Igreja e esta é a referência do Papa.

Quando um jornalista pergunta para o Papa Francisco sobre  sua opinião questões como o aborto ou o "casamento" gay, o Papa disse: "A Igreja já se expressou perfeitamente sobre isso". O jornalista, insistente, queria saber a posição do Papa. Ele foi ainda mais enfático: "É a da Igreja, eu sou filho da Igreja".
 
Cuidado com o que a Mídia lhe fala, as vezes para ter audiência ela distorce palavras e fatos.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Os Lugares Que Você tem Freqüentado

"Ninguém pode servir a dois Senhores"
(Mateus 6,24)


 acfav | Os Lugares Que Você tem Freqüentado

A imagem acima foi postada por mim em meu perfil no Facebook. Confesso que no começo pensei bem se deveria posta-la ou não. Acreditei que poderia gerar polemica, mas levando em conta que devemos falar a verdade ensinada pela nossa fé e não a verdade que as pessoas querem ouvir acabei postando.

Para a minha grande surpresa, várias pessoas curtiram e compartilharam essa postagem, houve até comentários a favor.

Mas, apenas uma pessoa se manifestou contra, ela escreveu um comentário usando palavras que nunca foram ditas pelo Papa João Paulo II (não sei da onde ela tirou isso), mas dizia que o Beato João Paulo II havia orientado aos jovens a “irem a boates” (palavras dela).

Tentei explicar o sentido da postagem e que ela estava equivocada sobre as possíveis orientações do Papa. De forma grossa ela me disse que eu estava errado.

Como ela estava on line tentei falar com ela pelo bate papo, mas ela simplesmente me disse que não tinha tempo, pois, estava se arrumando para ir ao pagode com as amigas. Perguntei se ela não tinha 5 minutos para esclarecermos esse assunto? Ela disse que não, que já havia ido a Missa pela manhã, portanto, já tinha feito sua parte para com Deus naquele dia. Deu a entender que ela ia a Missa, e depois as coisas de Deus ficavam em segundo plano.

Em sua página uma contradição, fotos dela na Igreja e muitas fotos na balada com um copo de bebida nas mãos.

Somos livres para escolher o que queremos seguir, mas não se engane, é impossível servir a dois senhores, ou somos de Deus ou não.

Postar fotos nas redes sociais com um copo de bebida alcoólica nas mãos é o mesmo que postar uma foto fumando maconha.

Ir a certos lugares e achar que não tem nada de mais só porque para compensar vai a Missa é um grande engano.

Pense nisso.

sábado, 27 de julho de 2013

“Onde há Ódio Que Eu Leve o Amor”



O assunto principal desta semana foi com certeza a visita do Papa Francisco.

Por onde passou foi muito grande a emoção das pessoas. De fato, ele transmite uma paz e serenidade muito grande.

Porém, sabemos que as trevas odeiam a luz. Assim como Jesus foi odiado e perseguido por muitos, o Papa Francisco também desperta a ira daqueles que odeiam sua mensagem de paz.

Vimos grupos que fizeram “manifestações” (já virou moda né?) aproveitando que a mídia do mundo todo estava focada no Brasil. Grupos, ou pessoas, de outras religiões se manifestando contra a visita e o carinho que o nosso povo tem para com o Papa. Grupos se manifestando contra a posição da Igreja no que se refere à sexualidade, a questão das drogas, família entre outras mais.

Apesar disso tudo, o foco continuou sendo o Papa Francisco. Seu carisma, sua serenidade, sua fé, falavam sem falar. Mesmo sem falar uma palavra, o Papa Francisco transmite sua mensagem de amor. Enquanto outras precisam gritar, tirar a roupa, ou apelar para serem vistos, o Papa tem uma luz que ilumina as trevas por onde ele passa. Sua luz é Jesus.

E assim como seu “chara” São Francisco de Assis, podemos repetir: “Onde há ódio, que eu leve o Amor”.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

A Igreja Católica Venera as Relíquias dos Santos, é Certo Isso?

“Ora, uma mulher atormentada por um fluxo de sangue, havia doze anos, aproximou-se dele por trás e tocou-lhe a orla do manto. Dizia consigo:’Se eu somente tocar na sua vestimenta, serei curada’. Jesus virou-se e disse-lhe: ‘Tem confiança, minha filha, tua fé te salvou’. E a mulher ficou curada instantâneamente.”
(Mateus 9,20-22)


acfav | A Igreja Católica Venera as Relíquias dos Sant

Primeiramente vamos entender o que é uma relíquia:

A Igreja venera a parte do corpo de um santo, assim venera a língua de Santo Antônio que se mantém intacta, venera os ossos de Santa Teresinha e etc. É comum em algumas celebrações litúrgicas (Missas) o padre dar a benção final usando as relíquias de um determinado santo ou santa, ele usa um relicário contendo parte do corpo deste santo.

Também são tidas como relíquias partes de um objeto que pertenceu a um santo, que foi abençoado por este em vida, ou que tenha tocado em seu cadáver.

A Bíblia cita as relíquias dos santos mostrando o poder que deus lhes comunica:

“Ora, aconteceu que um grupo de pessoas, estando a enterrar um homem, viu uma turma desses guerrilheiros e jogou o cadáver no túmulo de Eliseu, voltou à vida, e pôs-se de pé”. II Reis 13,21).

Diversas pessoas eram também curadas simplesmente por tocarem nas vestes de Jesus (Mateus 9, 20-22 e Mateus 14,35-36).

E o que dizer disso: “Deus fazia milagres extraordinários por intermédio de Paulo, de modo que lenços e outros panos que tinham tocado o seu corpo eram levados aos enfermos, e afastavam-se deles as doenças e retiravam-se os espíritos malignos”. (Atos 19,11-12).

Como vemos, a veneração das relíquias dos santos, não é algo criado pela Igreja, pois, é algo que vem desde o Antigo Testamento.

Se Deus comunica Seu poder por meio das relíquias de Seus santos, Ele sabe porque o faz. A nós compete glorificarmos cada vez mais o nome de Deus por tais maravilhas, que fez e continua a fazer por meio das reliquias.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

A Presença de Jesus Na Eucaristia



“Tomou em seguida o pão e depois de ter dado graças, partiu-o e deu-lho dizendo: “Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim”.
(Lucas 22, 19)



 


Imagine que o Papa venha ao Brasil, então, ele comunique ao Bispo da sua Diocese que deseja se hospedar aí na sua Diocese. O seu Bispo fazendo uma pesquisa escolhe a sua comunidade para acolher e hospedar o Papa. E assim se faz, o Papa vem ao Brasil e se hospeda na sua comunidade. Todas as vezes em que você passar em frente a sua comunidade, certamente se lembrará que o Papa está lá. Se você tiver um tempinho, será que você não vai querer entrar pelo menos para cumprimenta-lo? E mesmo que você esteja com pressa ( quem sabe para ir ao trabalho), se você ver o Papa te olhando da janela, não acenará para ele?

O Papa pode não está hospedado na sua comunidade, mas lá está alguém que é muito mais especial do que o Papa: Jesus!

É isso mesmo, Jesus está lá no Sacrário, vivo e ressuscitado. Será que você se lembra disso quando passa em frente a sua comunidade? Será que você tem o costume de entrar para cumprimenta-lo? Se você estiver com pressa, será que você pelo menos acena para Ele (faz o sinal da Cruz)?

É hora de repensarmos como está sendo a nossa fé em Jesus na Santa Eucaristia. Estamos dando à Ele a devida importância e atenção? Cremos verdadeiramente em Jesus Eucarístico?

É bom rezarmos diariamente assim: Creio Senhor, mas aumentai a minha fé.

sábado, 20 de julho de 2013

O Poder da Palavra



“Simão responde-lhe: ‘Mestre, trabalhamos a noite inteira e nada apanhamos; mas por causa de tua palavra, lançarei a rede’”.
( Lucas 5,5 )



Você já parou para pensar o poder que tem nossas palavras? Medite comigo: Andando pela rua, você encontra uma amiga sua; ela está abatida, triste... Você a cumprimenta com alegria e lhe faz um elogio: “Nossa como você está bonita hoje!” Mesmo que ela não esteja de fato bonita, com a sua saudação ela vai se sentir melhor.

Agora imagine o oposto: Você está andando pela rua, então encontra uma amiga sua, ela está linda, maravilhosa, bem arrumada e muito alegre. Você a cumprimenta dizendo: “nossa como você está abatida! Você está doente?”. Com certeza, por mais alegre que ela esteja, suas palavras vão destruir toda essa alegria.

Se nossas palavras tem todo esse poder de destruir ou de edificar, imagine só o poder que tem a Palavra de Deus.

Peço que você pegue a sua Bíblia e leia Lucas 5,1-11 (Pesca Milagrosa).

Vemos nesse texto, que Simão passou a noite inteira trabalhando com seus companheiros, porém, não apanharam nem um peixe. Jesus lhe pede para fazer uma nova tentativa. Simão era um pescador experiente, e bem sabia que se a noite inteira não apanhou nada, seria em vão tentar de novo. No entanto, ele faz essa nova tentativa. E por que?

Deixemos que o próprio Simão nos responda: “(...) por causa de Tua Palavra, lançarei a rede”.( Lucas 5, 5b). Ele confiou nas palavras de Jesus. Pela razão seria impossível apanhar algum peixe, mas Simão deixou que a fé e a confiança nas Palavras de Cristo falassem mais alto. E qual foi o resultado? “Apanharam peixes em tanta quantidade que a rede se lhes rompia” ( Lucas 5,6).

E hoje Jesus dirige à você estas palavras: “Avance para águas mais profundas, siga em frente, não desista jamais. O mundo vai lhe dizer palavras de desânimo, tais como: ‘não vai dar certo’, ‘você não vai conseguir’, Eu porém, hoje lhe digo: tudo é possível ao que crer, vá em busca dos seus objetivos e não desista jamais”.

Jesus está conosco e sua Palavra é poderosa. Que o Espírito Santo nos dê coragem para, como Simão, transformarmos nossa fé em atitudes .

sexta-feira, 19 de julho de 2013

E Deus se Esqueceu



“Aqueles a quem perdoares os pecados, ser-lhe-ão perdoados, àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos”
(João 20,23)


Um certo dia, uma senhora procurou o Bispo de sua Diocese e lhe disse que estava tendo visões, Deus estava aparecendo para ela e lhe fazendo grandes revelações. O Bispo lhe disse: “Minha filha, como Bispo desta Diocese, eu tenho a missão de lhe ajudar. Pode ser que Deus esteja de fato aparecendo para você, mas pode ser também que seja coisa de sua imaginação. Eu quero lhe ajudar a descobrir o que realmente está acontecendo. Faça o seguinte: quando Deus lhe aparecer novamente, pergunte à Ele quais são os meus pecados. Isso mesmo, pergunte quais são os meus pecados. Ele é Deus, Ele sabe. Depois você vem me contar, mas não conte para mais ninguém”.

Um mês depois aquela senhora marcou uma nova audiência com o Bispo. Ao recebê-la ele lhe perguntou curioso: “E então minha filha? Deus apareceu para você novamente?”

Ela respondeu: “Sim, apareceu!”

O Bispo Perguntou: “E você perguntou como eu lhe havia dito, quais são os meus pecados?”

Ela deu um sorriso e respondeu: ”Sim eu perguntei”

O Bispo perguntou: “E o que Ele lhe respondeu?”

A mulher disse: “Ele falou que não se lembra de seus pecados”

O Bispo concluiu que era realmente Deus quem aparecia para aquela senhora. Por quê? Porque Deus sempre se esquece os pecados dos quais nos arrependemos e confessamos. Não é que Ele finge que esquece, Ele esquece mesmo! Um dia estaremos diante de Deus e vamos comentar com Ele: “O Senhor se lembra quando eu cometi aquele pecado? Lembra quando aquilo aconteceu?” Deus certamente responderá: “Eu não me lembro disso.”

Deus é infinitamente misericordioso, principalmente quando somos humildes e reconhecemos que erramos, quando buscamos o seu perdão através do Sacramento da Confissão.

Após essa reflexão eu lhe pergunto: Você não acha que vale a pena fazer um bom exame de consciência, procurar um bom sacerdote e confessar-lhe os pecados?

quarta-feira, 17 de julho de 2013

O Poder da Oração



E eu vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á: buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á. Pois todo aquele que pede, recebe; aquele que procura, acha; e ao que bater, se lhe abrirá”.
(Lucas 11,9-10)

Havia uma senhora muito pobre, mão de 12 filhos, e estavam passando por grandes necessidades, aquela já não tinha nem o que comer. Aquela família pobre materialmente, porém, muito rica em fé, se reuniu para rezar o Santo Rosário, pedindo à Deus que aliviasse sua pobreza.

A mãe puxava a oração com muito entusiasmo e os filhos respondiam cheios de fé. Nisso, um homem que era ateu, passando pela janela viu aquela cena, e os interrompeu perguntando: “O que vocês estão fazendo?”. Aquela pobre senhora cheia de fé respondeu: “Estamos pedindo à Deus que alivie nossa pobreza, pois, até fome estamos passando!”.

Aquele homem, por ser ateu, tentou convencê-los de que Deus não iria atendê-los, já que não existe. Foi inútil, começaram a rezar com muito mais fervor.

Ele teve uma idéia para fazê-los parar de rezar, foi ao supermercado e fez uma enorme compra, depois pediu que alguns conhecidos seus a entregasse na casa daquela senhora, e acrescentou: “Quando ela perguntar quem foi que mandou, digam: ‘Foi o diabo!’”.

Aqueles rapazes entregaram a compra e foi grande a alegria daquela família, porém, a dona da casa não perguntou quem havia enviado aquele generoso presente. Então um dos rapazes que havia levado a compra perguntou: “A senhora não quer saber quem foi que lhe mandou tudo isso?”.

Ela, dando um breve sorriso, respondeu: “Não! Sei que tudo isso chegou ao meu lar porque Jesus ouviu as nossas preces, e quando Jesus manda, até o diabo obedece!”.