terça-feira, 1 de abril de 2014

Novo Site de Edmilson Aparecido é Lançado



Já está no ar o novo site de Edmilson Aparecido. A ideia é repetir o sucesso do blog "Conquistando Corações Para Deus" de autoria do mesmo.

No site é possível conferir detalhes da carreira de Edmilson Aparecido, assistir vídeos, ler e compartilhar seus artigos e meditações, fazer perguntas sobre diversos assuntos, adquirir seus livros e CDs e muito mais.


Acesse e Confira: www.edmilsonaparecido.com


Atenção: Atualizações somente no novo site



sexta-feira, 16 de agosto de 2013

A Paixão de Cristo, Um Filme Católico



O filme “A Paixão de Cristo” de Mel Gibson é um filme Católico. Isso mesmo, apesar de ter sido exibido no Brasil por uma emissora de TV que pertence a uma denominação evangélica, o filme “A Paixão de Cristo” é um filme 100% Católico.

Eu sei, eu também estranhei, não pelo fato de o filme ter sido exibido pela tal emissora, mas na época em que foi exibido pela primeira vez, eles fizeram uma série de reportagens falando sobre o filme e até sobre “conversões” que ocorreram na vida de pessoas que assistiram ao filme.

Mel Gibson é Católico Apostólico Romano, e produziu o filme orientado por teólogos Católicos. A própria tradução do filme para o aramaico e para o latim foi feitas por um padre Católico, padre William Fulco.

O roteiro do filme não foi baseado só na Bíblia, mas especialmente em um livro Católico chamado “Vida, Paixão e Glorificação do Cordeiro de Deus”, escrito pela Irmã Anna Catharina Emmerich, Religiosa Agustina, estigmática e extática, filha de camponeses pobres, mas piedosos, nasceu na aldeia de Flamsche, perto de Coesfeld na Diocese de Muster, em Westphalia Alemanha, no dia 8 de Setembro de 1774, foi batizada no mesmo dia e morreu no dia 9 de fevereiro de 1824 na localidade de Dulmen.

Irmã Anna Catharina viu no êxtase toda a vida e paixão do Divino Salvador e de sua Santíssima Mãe; viu os trabalhos dos Apóstolos e a propagação da Santa Igreja, muitos fatos do Velho Testamento, como também eventos futuros. Tocando em relíquias, geralmente via a vida, as obras e os sofrimentos dos respectivos Santos. Com certeza reconhecia e determinava as relíquias dos Santos, distinguindo em geral facilmente objetos sagrados de profanos.

Criticam tanto as coisas da Igreja Católica não por serem ruins, mas por serem Católicas. Se todos soubessem que esse filme é Católico, certamente os evangélicos que o elogiam diriam que o filme não é bom, e até a emissora de TV citada não o exibiria nem tão pouco faria tantas propagandas das conversões feitas por um filme Católico Apostólico Romano.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

A História de Alan e Aladim

Vídeo que conta a história da dupla sertaneja Alan e Aladim, participação especial do Alan, além de cenas do último show da dupla.

Produção e narração: Edmilson Aparecido

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Amigos e "amigos"



Amigos que te levam para a balada...
Amigos que pagam uma bebida para vc...
Amigos que estão ao seu lado nas horas de alegria...
Amigos que te apoiam quando vc tem um "cargo importante" ou algo para oferecer...
Aí eu pergunto: SERÁ QUE VOCÊ REALMENTE TEM AMIGOS?

AMIGO é aquele que te afasta de lugares que te farão mal
AMIGO é aquele que te afasta das drogas (sim, o álcool é uma droga)
AMIGO é aquele que está com vc também nas horas tristes
AMIGO é aquele que te ama pelo o que vc é e não pelo o que vc tem.

PENSE NISSO

quarta-feira, 31 de julho de 2013

O Papa Não Disse, Mas a Mídia Sim

Certa vez a imprensa divulgou que o Papa Bento XVI havia dito que os divorciados eram “uma praga” dentro da Igreja. A notícia estava na TV, nos jornais, revistas e portais de notícia, revoltando todos aqueles que são divorciados, “Como ele pode dizer que sou uma praga” dizia uma senhora entrevistada pelo repórter.
 
A polêmica acabou quando um jornalista se manifestou esclarecendo o caso: “Vocês não sabem traduzir o italiano? O Papa não disse praga, ele disse chaga”. Na verdade o Papa Bento XVI havia dito que o divórcio (e não os divorciados) era uma chaga no seio da Igreja, ou seja, uma ferida (chaga é uma ferida). O Papa mostrava sua preocupação com a situação do divorcio que fere a família. Todos que passaram pela dolorosa experiência do divórcio sabem que ele machuca o casal e também os filhos.

Poucos foram os jornalistas que vieram em publico esclarecer o mal entendido.
Tempos depois, a mídia divulgou uma notícia bombástica: Papa Bento XVI aprova uso da camisinha. E mais uma vez, as palavras do Papa foram interpretadas de forma errada. O Papa jamais autorizou o uso de preservativos.

E agora temos o caso mais recente com o Papa Francisco, a imprensa disse que o Papa aprovou a união homossexual. Até o ex-padre da Diocese de Bauru que foi excomungado  queria entrar na justiça para reverterem seu processo de excomunhão, pois, acredita ele, ter sido excomungado por defender a união homossexual.

Primeiramente, a nota divulgada pela Diocese de Bauru dizia que o tal padre estava sendo excomungado não por causa de sua posição referente aos homossexuais (como a imprensa erroneamente estava divulgando), mas porque o tal padre escandalizava o povo de Deus com sua forma desregrada de viver.
Em segundo lugar, o Papa Francisco em nem um momento aprovou a união homossexual. Ele apenas falou aquilo que o Catecismo da Igreja Católica (CIC) nos ensina sobre o assunto:

Está no parágrafo 2358:
"Um número não negligenciável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais profundamente enraizadas. Esta inclinação objetivamente desordenada constitui, para a maioria, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á para com eles todo sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar a vontade de Deus em sua vida e, se forem cristãs, a unir ao sacrifício do Senhor as dificuldades que podem encontrar por causa de sua condição."
Em outras Palavras: a Igreja continua condenando o pecado, não o pecador. E, justamente porque o ama, chama-o à conversão, à castidade. Por causa de sua condição, eles não devem ser injustamente discriminados, mas tratados com respeito e dignidade. Este é o ensinamento da Igreja e esta é a referência do Papa.

Quando um jornalista pergunta para o Papa Francisco sobre  sua opinião questões como o aborto ou o "casamento" gay, o Papa disse: "A Igreja já se expressou perfeitamente sobre isso". O jornalista, insistente, queria saber a posição do Papa. Ele foi ainda mais enfático: "É a da Igreja, eu sou filho da Igreja".
 
Cuidado com o que a Mídia lhe fala, as vezes para ter audiência ela distorce palavras e fatos.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Os Lugares Que Você tem Freqüentado

"Ninguém pode servir a dois Senhores"
(Mateus 6,24)


 acfav | Os Lugares Que Você tem Freqüentado

A imagem acima foi postada por mim em meu perfil no Facebook. Confesso que no começo pensei bem se deveria posta-la ou não. Acreditei que poderia gerar polemica, mas levando em conta que devemos falar a verdade ensinada pela nossa fé e não a verdade que as pessoas querem ouvir acabei postando.

Para a minha grande surpresa, várias pessoas curtiram e compartilharam essa postagem, houve até comentários a favor.

Mas, apenas uma pessoa se manifestou contra, ela escreveu um comentário usando palavras que nunca foram ditas pelo Papa João Paulo II (não sei da onde ela tirou isso), mas dizia que o Beato João Paulo II havia orientado aos jovens a “irem a boates” (palavras dela).

Tentei explicar o sentido da postagem e que ela estava equivocada sobre as possíveis orientações do Papa. De forma grossa ela me disse que eu estava errado.

Como ela estava on line tentei falar com ela pelo bate papo, mas ela simplesmente me disse que não tinha tempo, pois, estava se arrumando para ir ao pagode com as amigas. Perguntei se ela não tinha 5 minutos para esclarecermos esse assunto? Ela disse que não, que já havia ido a Missa pela manhã, portanto, já tinha feito sua parte para com Deus naquele dia. Deu a entender que ela ia a Missa, e depois as coisas de Deus ficavam em segundo plano.

Em sua página uma contradição, fotos dela na Igreja e muitas fotos na balada com um copo de bebida nas mãos.

Somos livres para escolher o que queremos seguir, mas não se engane, é impossível servir a dois senhores, ou somos de Deus ou não.

Postar fotos nas redes sociais com um copo de bebida alcoólica nas mãos é o mesmo que postar uma foto fumando maconha.

Ir a certos lugares e achar que não tem nada de mais só porque para compensar vai a Missa é um grande engano.

Pense nisso.

sábado, 27 de julho de 2013

“Onde há Ódio Que Eu Leve o Amor”



O assunto principal desta semana foi com certeza a visita do Papa Francisco.

Por onde passou foi muito grande a emoção das pessoas. De fato, ele transmite uma paz e serenidade muito grande.

Porém, sabemos que as trevas odeiam a luz. Assim como Jesus foi odiado e perseguido por muitos, o Papa Francisco também desperta a ira daqueles que odeiam sua mensagem de paz.

Vimos grupos que fizeram “manifestações” (já virou moda né?) aproveitando que a mídia do mundo todo estava focada no Brasil. Grupos, ou pessoas, de outras religiões se manifestando contra a visita e o carinho que o nosso povo tem para com o Papa. Grupos se manifestando contra a posição da Igreja no que se refere à sexualidade, a questão das drogas, família entre outras mais.

Apesar disso tudo, o foco continuou sendo o Papa Francisco. Seu carisma, sua serenidade, sua fé, falavam sem falar. Mesmo sem falar uma palavra, o Papa Francisco transmite sua mensagem de amor. Enquanto outras precisam gritar, tirar a roupa, ou apelar para serem vistos, o Papa tem uma luz que ilumina as trevas por onde ele passa. Sua luz é Jesus.

E assim como seu “chara” São Francisco de Assis, podemos repetir: “Onde há ódio, que eu leve o Amor”.